in

“Quantos tipos de orgasmo feminino existem?”

A leitora Raphaella S. me pergunta, assim, de supetão, via inbox:

“Quantos tipos de orgasmo feminino existem?”

moça orgasmo
“Ahh… Liquidação de sapato, yes, yes… Assim, sapatoooo!”

Rapha, sabe 50 tons de cinza? Então, seria bom ter 50 tipos de orgasmo, né? Mas não.

Na verdade são apenas 7 tipos… Apenas? Não se engane, é muita coisa. 

E na minha prática como um verdadeiro escafandrista do prazer, mergulhei fundo no assunto, tanto na clínica quanto na minha movimentada vida pessoal. É o que alguns chamariam de um verdadeiro buffet de vaginas, mas eu não iria tão longe. Além disso, não é só via vagina que a mágica acontece. É disso que pretendo falar a seguir. E com que autoridade? Ora…

Já cataloguei, presenciei e, modéstia às favas, causei 7 tipos de orgasmo em minha vida.

Prestei atenção direitinho na hora e tomei notas (você conseguiria? Foi difícil!). Confira o que eu descobri:

  1. Orgasmo clitoriano – o clitóris é aquele botãozinho mágico conhecido vulgarmente como “grelo”. É como a campainha da casa, por isso convém você ser educado e tocar antes de entrar. Na verdade, você pode tocar tanto que sua parceira irá atingir o orgasmo antes mesmo de você botar a rola lá dentro. Legal, né? Mas, ei, não deixa de botar a rola lá dentro! A brincadeira está só começando!
  2. Orgasmo vaginal – OK, digamos que você “já é de casa” e entra sem tocar campainha (o clitóris). Você pode fazer sua parceira gozar assim mesmo. Essa é a beleza do orgasmo vaginal: ele tem essa espontaneidade instintiva de já ir metendo logo e pronto. Ou quase isso! Darei dicas pra você não ser um troglodita e fazer direitinho em breve.
  3. Orgasmo do ponto G – O ponto G é uma parte oculta que fica acima do osso púbico, por dentro da buceta. É tão oculto que tem gente que até dúvida de sua existência. Na verdade, inúmeros arqueólogos e aventureiros já desapareceram nas salvas tropicais úmidas da América Central tentando achá-lo. Mas a ciência e minha prática dizem que SIM, ele existe! O segredo para que ele seja encontrado com mais facilidade é deixar a mulher “em ponto de bala”, devidamente estimulada. Aí ele surge.
  4. Orgasmo do ponto U – Calma, segura as piadinhas (eu também pensei, “orgasmo no ponto U, deve ser no c…” #RISOS Mas não é. Vamos falar disso daqui a pouco). É “u” de uretra. Sim, ali por onde a moça faz xixi, campeão. Ali mesmo. Pense só que localização privilegiada: no meio do caminho entre o clitóris e a entrada da vagina! Não se acanhe na hora de estimulá-lo, a gata pode até gozar.
  5. Seios – Estimular os seios com carinho e malícia pode sim levar sua parceira ao clímax. Língua, os lábios e até os dentes (com suavidade, seu animal!) foram inventados principalmente para isso, segundo me consta. Parece difícl de acontecer? Não é. Fiz uma pesquisa caindo de boca nos peitos de 500 mulheres (sim, eu mesmo) e 29% garantiram ter gozado assim. As outras devem ter gozado também, mas ficaram tímidas na hora de falar.
  6. “Quem tem c* tem medo… E pode ter orgasmo anal!” – É, meu camarada, o orgasmo anal é uma realidade para as mulheres que se dispõe a liberar a entrada dos fundos. Isso porque a região está cheia de terminações nervosas, ou seja, é muito sensível e pode dar imenso prazer à gata. Então, vá fundo nessa ideia!
  7. Múltiplo – É o orgasmo dos sonhos de 10 entre 10 mulheres, o “Santo Graal” da foda. Mas não é lenda, não. Ele ocorre quando uma mulher relaxa um pouquinho, mas não completamente, após um orgasmo. O resultado é prazer orgástico em rápida sucessão, uma cascata de prazer. Que parece não ter fim! Coisa linda, né? Parece até poesia.

orgasmo-feminino.jpg

Pois bem, Cavalheiro. Espero que tenha aprendido algo. Você com certeza está ansioso para colocar tudo isso em prática. É claro que você já viu muita coisa, mas todos? Pois bem: você vai chegar lá. aguarde meu próximo artigo.

What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Written by admin

Avatar

Informações biográficas do autor, Informações biográficas do autor<Informações biográficas do autor,Informações biográficas do autor<Informações biográficas do autor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *