in

Muito além dos 50 tons de cinza

 UMA COBERTURA DE LUXO EM NOVA IORQUE. NOITE.

– Estou um pouco tonta – disse Anastasia sorrindo após virar o último gole de vinho.

– Eu sei – respondeu Christian com aquele olhar repleto de malícia que parecia devassar suas cavidades mais profundas e outros buracos secretos.

De súbito, o jovem, atlético e bem dotado bilionário tomou-a pelas mãos e começou a acariciar-lhe a clavícula com a ponta da língua.

– Que está fazendo? – murmurou Anastasia assustada, sentindo que as profundezas abissais de seu Precioso Tesourinho se enchiam de fogo puro.

– Algo que eu já devia ter feito há muito tempo – sussurrou ele, o olhar faiscando e a mão subitamente pousando sobre seus seios, com a pegada exata pra fazê-la soltar um suspiro que traia o quanto estava indefesa ao sentir aquele toque viril.

– Aqui não – tentou resistir Anastasia – A governanta…

– Shhh… – fez ele enquanto desabotoava a própria calça expondo à luz débil do abajur aquele majestoso membro cheio de veias pulsantes que parecia um obelisco de masculinidade, um totem tão esplendoroso que só poderia ser adorado por uma deusa.

Em seguida Christian arrancou a saia de Anastasia por cima de sua cabeça, numa manobra ágil e desenvolta, algo que lembrava um número ensaiado, tamanha a precisão do gesto. E era mesmo um movimento ensaiado, a jovem e tonta nova-iorquina de apenas 36 anos sabia muito bem que aquele garanhão implacável já havia comido metade da Costa Leste e só não comera a Costa Oeste porque lá quem comia todas era Charlie Sheen, bom, pelo menos as putas quem comia era Charlie Sheen… Esses pensamentos voaram pela cabecinha loira e confusa de Anastasia na mesma velocidade que aquela saia, talvez até mais rápido e ela… Ai! A mão dele caiu sobre sua periquita, aquela vulva chamejante que agora ansiava por prazer, seus dedos de macho, acostumados a catucar pererecas e vaginas de toda espécie, matiz, cor, credo, pelosidade…

Enfim, aqueles dedos que por mais que ele lavasse nunca deixavam de exalar um leve aroma de arenque, revelando sutilmente seu histórico de devassidão, aqueles dedos, dizia eu, arrancaram a calcinha de lingerie maravilhosa e caríssima da Victoria Secret como se não fosse nada!

Aí não teve jeito. Aquela magnífica cobertura em Manhattan, que já havia presenciado toda espécie de cena picante (e bucetante) imaginável, preparou-se para ver mais uma, uma explosão de luxúria que era o fausto da foda.
Mas antes que o membro colossal entrasse naquela Gruta do Prazer Desenfreado e Gostoso Pacas, eis que Anastasia decide agitá-lo com sua delicada mãozinha e aí Christian não se conteve e sem nem ao menos penetrar aquele Âmago do Prazer Lubrificado, só na mãozinha mesmo, ejaculou um caudaloso rio que mais parecia o jato de um vulcão perolado, quente e poderoso!

Seu urro de prazer foi tão alto que pôde ser ouvido do outro lado do Rio Hudson!

E o som que se ouviu na sequencia também!

– PORRA, Christian! De novo? – gritou Anastasia  possuída por fúria que parecia maior que seu delicado corpinho mignon – Toda vez essa merda, você nem me come e já goza?! Ah, vô te contar viu?? Fica você aí! E vou dormir no andar debaixo!

E saiu batendo a porta, deixando nosso bilionário triste e sem ninguém, só os seus trocentos bilhões de dólares e as batidas de seu próprio inquieto e voluptuoso coração. Coração esse que sabia que seu corpo ardente estava apenas momentaneamente saciado. E que Anastasia voltaria em breve para mais… Muito mais!

What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Written by RC

RC

Somos uma equipe de refinados cavalheiros versados nas mais diversas áreas do conhecimento humano, mas com algo em comum: nosso devotado estudo da alma feminina em todas as suas manifestações. Principalmente a física.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *